Páginas

Busca

Translate

28/10/2011

Efeito Colateral: Sexualidade Liberal e Precoce


dcaac8e4c0e4d8a576d392da2892daf0SÃO PAULO - Estudo nacional realizado pelo Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids revela que uma em cada 10 jovens brasileiras atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) tem doença transmitida pelo sexo.


 

O relatório indica alta prevalência de infecção por clamídia entre jovens brasileiras atendidas nos serviços públicos de saúde. A clamídia é a doença sexualmente transmissível (DST) causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que pode infectar homens e mulheres e ser transmitida da mãe para o bebê na passagem pelo canal do parto.
 
Ao todo 2.071 jovens, entre 15 e 24 anos, atendidas nas unidades do SUS, nas cinco macrorregiões (norte, nordeste, sudeste, sul, centro-oeste), participaram do estudo. A prevalência de clamídia entre as jovens avaliadas foi de 9,8%, sendo que 4% delas também tiveram resultado positivo para infecção por gonorreia.
 
A infecção atinge especialmente a uretra e órgãos genitais, mas também pode atingir a região anal, a faringe e ser responsável por doenças pulmonares. Se não tratada, é uma das causas da infertilidade masculina e feminina, e pode aumentar de três a seis vezes o risco da infecção pelo HIV.
 
A doença pode ser assintomática em até 80% das mulheres e em 50% dos homens. Quando os sintomas aparecem, podem ser parecidos nos dois sexos: dor ou ardor ao urinar, aumento do número de micções, presença de secreção fluida. As mulheres podem apresentar, ainda, perda de sangue nos intervalos do período menstrual, dor às relações sexuais, dor no baixo ventre e doença inflamatória pélvica.
 
Não existe vacina contra a clamídia. A única forma de prevenir a transmissão da bactéria é o sexo seguro com o uso de preservativos. Uma vez instalada a infecção, o tratamento deve ser realizado com o uso de antibióticos específicos e deve incluir o tratamento do parceiro ou parceira para garantir a cura e evitar a reinfecção.
 
 
OBS: Tais dados refletem um pouco da realidade de jovens brasileiros e de todo o mundo que tiveram uma educação sexual completamente deturpada.  Essa geração, a minha geração não foi educada pelos pais ou até mesmo pelas escolas, mas sim pela própria mídia. Desde a infância novelinhas e desenhos animados incitaram uma precoce sexualiazação dos mesmos que na adolescência continuaram a ser estimulados por filmes e novelas, e que atualmente continuam a ser influenciados por livros e músicas. Não é a toa que jovens de 11, 13 anos já iniciam sua vida sexual, resultando nesses problemas abordados pela matéria. Isso sem contar nos outros problemas como famílias desestruturadas, problemas emocionais, sociais e espirituais.
 
A aparente solução em usar preservativos é apenas uma tentativa de evitar gravidez indesejada e a proliferação das DST’s, mas não é uma solução verdadeira e efetiva. A solução seria apenas se preservar e esperar até o casamento com a pessoa que você ama verdadeiramente, com a qual você se responsabiliza-rá a ser fiel e estar junto até a morte. Afinal de contas não existe preservativos para sentimentos.
 
O sexo não foi instituído por Deus para ser esse fardo que a humanidade está sofrendo por causa do desenfreado egoísmo e desejo que muitos desenvolvem. Muito menos foi instituído unicamente para a reprodução. Mas foi dado para ser uma benção a cada homem e mulher que decidem se unir diante dEle fazendo-O alicerce da união.
 
Se você se enquadra na realidade da matéria, não tema, para Deus nunca é tarde para recomeçar. E se você ainda não fez, mas está pensando em dar um passo à frente, pare, e perceba que o melhor é esperar!